PAPEL DO CIRURGIÃO-DENTISTA EM VISITAS DOMICILIARES NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA (ESF)

Autores

  • Gabriele Franco Costa Universidade São Francisco
  • Jaqueline Fulan Ribeiro Universidade São Francisco
  • Valdineia Maria Tognetti Universidade São Francisco
  • Erika Michele dos Santos Araujo Universidade São Francisco

DOI:

https://doi.org/10.24933/e-usf.v7i2.317

Palavras-chave:

Cirurgião-Dentista, Visita Domiciliar, Estratégia de Saúde da Família (ESF)

Resumo

A inserção da Estratégia de saúde bucal (ESB) na Estratégia de Saúde da Família (ESF) focou no processo de reorientação das relações de como são realizados os trabalhos. Foi observado a necessidade da equipe de trabalho se manter em contato com os pacientes e abranger a demanda dos atendimentos solicitados. Os parâmetros que estruturam o trabalho da ESB são os mesmos que regem o funcionamento da ESF, sendo eles a universalidade, integralidade, trabalho em equipe e equidade. O objetivo desta pesquisa foi elaborar uma pesquisa que identifique e demonstre quais as principais dificuldades encontradas nos atendimentos odontológicos nas visitas domiciliares ligadas a Estratégia Saúde da Família e quais as implicações mais evidentes atualmente dentro do SUS. Foi realizada uma revisão de literatura, onde inicialmente foi feita uma busca de trabalhos acadêmicos e posteriormente foi realizada a coleta de dados referentes ao tema.  Não foi publicado um grande volume de trabalhos sobre o tema, houve certa dificuldade em encontrar artigos, teses ou outros materiais que abordassem o papel do cirurgião-dentista na ESF ou do desempenho da ESB nas UBSs. Por fim, pode-se dizer que são necessários mais estudos que abordem mais profundamente as problemáticas e os desafios especificamente no caso da ESB na atenção domiciliar (AD) e visita domiciliar (VD) na ESF, a fim de acompanhar a progressão, direcionar a priorização e sistematização das ações podendo contribuir para a organização das práticas de saúde bucal na ESF.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARANTES, Luciano José; SHIMIZU, Helena Eri; MERCHÁN-HAMANN, Edgar. Contribuições e desafios da Estratégia Saúde da Família na Atenção Primária à Saúde no Brasil: revisão da literatura. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, p. 1499-1510, 2016.

BRASIL. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília, 2004. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/diretrizes_da_politica_nacional_de_saude_bucal.pdf .Acesso em: 06 out 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Estabelece incentivo financeiro para a reorganização da atenção à saúde bucal prestada nos municípios por meio do Programa de Saúde da Família. Portaria nº 1.444, de 28 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União, 2000.

BRASIL. Ministério da Saúde. Reorganização das ações de saúde bucal na atenção básica: portaria de normas e diretrizes da saúde bucal. Portaria nº 267, de 06 de março de 2001. Diário Oficial da União, 2001.

CAETANO, Karolina Andrade. Estratégia saúde da família: desafios e possibilidades na atenção básica. UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), 2020.

CONCEIÇÃO, Grupo Hospitalar. Manual de assistência domiciliar na atenção primária à saúde. Experiência do SSC/GHC. Porto Alegre: serviço de saúde comunitária do Grupo Hospitalar Conceição, 2003.

DA SILVA, Luzia Wilma Santana et al. A família na convibilidade com o idoso acamado no domicílio. Revista Kairós-Gerontologia, v. 14, p. 75-87, 2011.

DE SÁ, Frederico Nicholas Nobre Oliveira et al. Fatores associados ao acesso à saúde bucal das gestantes na estratégia saúde da família. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 8, p. 62355-62369, 2020.

FERRAZ, Giuliane Andrade; LEITE, Isabel Cristina Gonçalves. Instrumentos de visita domiciliar: abordagem da odontologia na estratégia saúde da família. Revista de APS, v. 19, n. 2, 2016.

GIOVANELLA, Ligia et al. Saúde da família: limites e possibilidades para uma abordagem integral de atenção primária à saúde no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 14, p. 783-794, 2009.

HENRIQUES, R. L. M.; PINHEIROS, R. Integralidade na produção de serviços de saúde e as políticas de educação. Jornal da Associação Brasileira de Enfermagem, v. 3, n. 1, p. 8, 2004.

MACHADO, Humberto Sauro Victorino; MELO, Eduardo Alves; PAULA, Luciana Guimarães Nunes de. Medicina de Família e Comunidade na saúde suplementar do Brasil: implicações para o Sistema Único de Saúde e para os médicos. Cadernos de Saúde Pública, v. 35, p. e00068419, 2019.

MACHADO, Maria de Fátima Antero Sousa et al. Integralidade, formação de saúde, educação em saúde e as propostas do SUS: uma revisão conceitual. Ciência & saúde coletiva, v. 12, p. 335-342, 2007.

MARTINELLI, Danieli Laguna Francisco et al. Cobertura de equipes de saúde bucal na Estratégia Saúde da Família e uso de serviços odontológicos em adolescentes de Mato Grosso do Sul, 2019: estudo transversal. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 30, 2021.

MATTOS, Grazielle Christine Maciel et al. A inclusão da equipe de saúde bucal na Estratégia Saúde da Família: entraves, avanços e desafios. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, p. 373-382, 2014.

MORAES, Liliane Barbosa de; COHEN, Simone Cynamon. Um olhar sobre a saúde bucal de pacientes acamados domiciliados cadastrados em unidades da Estratégia Saúde da Família no município de Teresópolis/RJ. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 31, p. e310213, 2021.

NASCIMENTO, Antonio Carlos et al. Oral health in the family health strategy: a change of practices or semantics diversionism. Revista de Saúde Pública, v. 43, p. 455-462, 2009.

PUCCA JÚNIOR, Gilberto Alfredo et al. Acesso e cobertura populacional à saúde bucal após a implementação da Política Nacional de Saúde Bucal “Brasil Sorridente”. Tempus–Acta de Saúde Coletiva, v. 14, n. 1, p. 29-43, 2020.

RODRIGUES, Flávia Fernanda Luchetti et al. Relação entre conhecimento, atitude, escolaridade e tempo de doença em indivíduos com diabetes mellitus. Acta paulista de enfermagem, v. 25, p. 284-290, 2012.

SANGLARD-OLIVEIRA, Carla Aparecida et al. Atribuições dos técnicos em saúde bucal na Estratégia Saúde da Família em Minas Gerais, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, p. 2453-2460, 2013.

SCHERER, Charleni Inês et al. O trabalho em saúde bucal na Estratégia Saúde da Família: uma difícil integração?. Saúde em Debate, v. 42, p. 233-246, 2018.

SILVA, Renata Marques da; PERES, Ana Carolina Oliveira; CARCERERI, Daniela Lemos. Atuação da equipe de saúde bucal na atenção domiciliar na Estratégia Saúde da Família: uma revisão integrativa. Ciência & Saúde Coletiva, v. 25, p. 2259-2270, 2020.

SOARES, Fabíola Fernandes et al. Atuação da equipe de saúde bucal na estratégia saúde da família: análise dos estudos publicados no período 2001-2008. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, p. 3169-3180, 2011.

SOUZA, Dayse Maria Morais. A prática diária na Estratégia Saúde da Família. Juiz de Fora: Ed. UFJF; 2011.

SOUZA, Marcela Tavares de; SILVA, Michelly Dias da; CARVALHO, Rachel de. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein (São Paulo), v. 8, p. 102-106, 2010.

SPEZZIA, Sérgio et al. A Estratégia de Saúde da Família: o papel da equipe de saúde bucal. Cadernos UniFOA, v. 17, n. 48, p. 125-130, 2022.

TEIXEIRA, Carmen Fontes; SOLLA, Jorge Pereira. Modelo de atenção à saúde: promoção, vigilância e saúde da família. Edufba, 2006

Downloads

Publicado

2023-12-18

Como Citar

Costa, G. F., Ribeiro, J. F., Tognetti, V. M., & Araujo, E. M. dos S. (2023). PAPEL DO CIRURGIÃO-DENTISTA EM VISITAS DOMICILIARES NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA (ESF). Ensaios USF, 7(2). https://doi.org/10.24933/e-usf.v7i2.317

Edição

Seção

Ciências Biológicas e da Saúde