USO DE LORAZEPAM EM QUADRO DE CATATONIA: RELATO DE CASO

USE OF LORAZEPAM IN A CASE OF CATATONIA: CASE REPORT

Autores

  • Laura Nagy Fritsch Hospital Universitario São Francisco de Assis na Providencia de Deus
  • Fernanda de Castro Rodrigues Hospital Universitário São Francisco de Assis na Providência de Deus
  • Luiz Fernando Ribeiro da Silva Paulin Programa de Residência Médica de Psiquiatria do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus

DOI:

https://doi.org/10.24933/e-usf.v8i1.369

Palavras-chave:

Lorazepam, Catatonia, Depressão, Saúde Mental

Resumo

A catatonia, uma condição caracterizada por anormalidades na fala, movimento e comportamento. Este artigo enfatiza a importância do diagnóstico diferencial entre catatonia maligna, transtornos depressivos e delirium. Trata-se de um caso de uso de Lorazepam para tratamento de catatonia secundária à depressão com sintomas psicóticos. Foi realizada inicialmente revisão bibliográfica na plataforma Pubmed e, por meio de acesso ao prontuário médico disponível, foi realizado o estudo do caso clínico com anotações para posterior correlação clínica com a literatura. A escolha do caso se deu devido a escassez de dados em literatura consagrada sobre o assunto. Para avaliação e classificação da catatonia, utilizou-se a Escala de Bush Francis adaptada para o português. O paciente recebeu tratamento com Lorazepam, Mirtazapina e Risperidona para abordar os sintomas depressivos e psicóticos. O Lorazepam é o medicamento mais investigado, administrado em doses que variam de 2 a 16 mg/dia, chegando a 3mg/dia no paciente em questão, tendo remitido de seus sintomas dentro de 30 dias. A duração da terapia varia desde a administração de apenas uma dose até o tratamento contínuo enquanto persistirem os sintomas catatônicos. A resposta positiva ao Lorazepam em baixas doses, auxiliou no diagnóstico de catatonia. Ressalta-se a necessidade de uma abordagem interdisciplinar e de tratamento personalizado para atender às necessidades individuais dos pacientes. Além disso, é fundamental o reconhecimento precoce e a intervenção ágil para evitar desfechos adversos associados à catatonia. Salienta-se a necessidade de futuras pesquisas e relatórios de casos para aprimorar a compreensão e o tratamento da catatonia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CARROLL, Brendan T. et al. Review of Adjunctive Glutamate Antagonist Therapy in the Treatment of Catatonic Syndromes. The Journal Of Neuropsychiatry And Clinical Neurosciences, [S.L.], v. 19, n. 4, p. 406-412, out. 2007. American Psychiatric Association Publishing. http://dx.doi.org/10.1176/jnp.2007.19.4.406.

DEJONG, Hannah; BUNTON, Penny; HARE, Dougal J.. A Systematic Review of Interventions Used to Treat Catatonic Symptoms in People with Autistic Spectrum Disorders. Journal Of Autism And Developmental Disorders, [S.L.], v. 44, n. 9, p. 2127-2136, 19 mar. 2014. Springer Science and Business Media LLC. http://dx.doi.org/10.1007/s10803-014-2085-y.

HUANG, Michael W; GIBSON, Roger Carl; JAYARAM, Mahesh B; CAROFF, Stanley N. Antipsychotics for schizophrenia spectrum disorders with catatonic symptoms. Cochrane Database Of Systematic Reviews, [S.L.], v. 2022, n. 7, p. 1-42, 12 jul. 2022. Wiley. http://dx.doi.org/10.1002/14651858.cd013100.pub2.

NUNES, Ana Letícia Santos. Classificação e avaliação da Síndrome catatônica. 2015. 68 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Psiquiatria, Instituto de Psiquiatria, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: http://objdig.ufrj.br/52/teses/828851.pdf. Acesso em: 01 maio 2015.

OLDHAM, Mark A.; LEE, Hochang B.. Catatonia vis-à-vis delirium: the significance of recognizing catatonia in altered mental status. General Hospital Psychiatry, [S.L.], v. 37, n. 6, p. 554-559, nov. 2015. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.genhosppsych.2015.06.011.

PATEL, Rikinkumar s; VELURI, Nikhila; VERMA, Geetika. Mirtazapine Creating “Miracles” in Psychotic Depression With Catatonia. Cureus, [S.L.], v. 8, n. 12, p. 1-6, 19 ago. 2020. Cureus, Inc.. http://dx.doi.org/10.7759/cureus.9863.

PELZER, Anne et al. Systematic review of catatonia treatment. Neuropsychiatric Disease And Treatment, [S.L.], v. 14, p. 317-326, jan. 2018. Informa UK Limited. http://dx.doi.org/10.2147/ndt.s147897.

RIZOS, Dimitrios V.; PERITOGIANNIS, Vaios; GKOGKOS, Christos. Catatonia in the intensive care unit. General Hospital Psychiatry, [S.L.], v. 33, n. 1, jan. 2011. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.genhosppsych.2010.07.006 .

ROGERS, Jonathan P et al. Evidence-based consensus guidelines for the management of catatonia: Recommendations from the British Association for Psychopharmacology. Journal Of Psychopharmacology: Oxford, England, v. 4, n. 37, p. 327-369, 11 abr. 2023. doi.10.1177/02698811231158232.

TIBREWAL, Prashant et al. Response rate of lorazepam in catatonia: a developing country's perspective. Progress In Neuro-Psychopharmacology And Biological Psychiatry, [S.L.], v. 34, n. 8, p. 1520-1522, dez. 2010. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.pnpbp.2010.08.017.

VERBRAEKEN, Ragnar; LUYKX, Jurjen J.. Persistent catatonia following epileptic seizures: a case report and systematic literature search. Bmc Psychiatry, [S.L.], v. 18, n. 1, p. 1-5, 29 out. 2018. Springer Science and Business Media LLC. http://dx.doi.org/10.1186/s12888-018-1935-0.

ZAMAN, Hadar; GIBSON, Roger Carl; WALCOTT, Geoffrey. Benzodiazepines for catatonia in people with schizophrenia or other serious mental illnesses. Cochrane Database Of Systematic Reviews, [S.L.], v. 2019, n. 8, p. 1-31, 5 ago. 2019. Wiley. http://dx.doi.org/10.1002/14651858.cd006570.pub3.

Downloads

Publicado

2024-04-10

Como Citar

Nagy Fritsch, L., de Castro Rodrigues, F., & Ribeiro da Silva Paulin, L. F. (2024). USO DE LORAZEPAM EM QUADRO DE CATATONIA: RELATO DE CASO: USE OF LORAZEPAM IN A CASE OF CATATONIA: CASE REPORT. Ensaios USF, 8(1). https://doi.org/10.24933/e-usf.v8i1.369

Edição

Seção

Ciências Biológicas e da Saúde